FNE Sol repassa mais recursos ao RN

O estado do Rio Grande do Norte foi o mais beneficiado no ano de 2017 pelo crédito do Banco do Nordeste para programas de micro e minigeração distribuída de energia para consumo próprio dos empreendimentos. Os recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE Sol) somaram R$ 9,95 milhões e favoreceram cerca de 60 clientes. O aproveitamento potiguar diz respeito a 22,3% das operações gerais com o crédito e 21,6% das aplicações. No BNB a busca pela linha de crédito está em ascenção. O processo, que conta com a atuação dos principais atores econômicos do Estado, evidenciou para o foco dos empreendedores no “aumento da eficiência, realizando investimentos em modernização e geração própria de energia”.

FNE-RN
FNE-RN

A Superintendência do RN adotou o método de compor, juntamente a parceiros, a divulgação e mapeamento do FNE Sol em companhia de empresários do setor de supermercados, dos meios de hospedagem e ainda debater técnicas de facilitação do acesso à linha de crédito para empresas da cadeia de energia fotovoltaica (representantes, instaladores, montadores e epcistas).

O superintendente do Banco Nacional do Nordeste, BNB, no Estado, Fabrizzio Feitosa, falou “Estamos trabalhando para fazer chegar ao conhecimento dos empreendedores mais remotos as vantagens do FNE Sol. A linha de crédito está se popularizando e, com a redução de taxas de juros do FNE, as perspectivas para 2018 são as melhores possíveis”.

RN Sustentável

Segundo os dados disponibilizados pelo Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (Cerne), o RN é autossustentável na síntese de energia elétrica desde 2014. No Estado, 84,4% da capacidade disponível vêm de usinas eólicas, 12,4% de termelétricas e 2,8% de fotovoltaicas. A depender da atuação do Banco do Nordeste, a participação da energia solar nessa equação inclina-se ao crescimento. Não há uma medição da fonte fotovoltaica distribuída, para consumo próprio. Na geração centralizada, onde o empreendendor gera a energia de fonte solar para venda, o Estado tem 6 usinas fotovoltaicas em operação comercial (quatro delas ligadas no final de 2017), totalizando cerca de 120 MW. Existem também duas usinas contratadas, que devem acrescentar 66 MW ao sistema fotovoltaico potiguar.

Fonte: Tribuna do Norte

Deixe uma resposta